Não é de se estranhar e nem segredo para ninguém a forma com que tratamos as bacias hídricas do nosso distrito, desmatamentos são feitos e junto com ele vem às queimadas e os assoreamentos de córregos e rios sem que sejam feitas fiscalizações constantes e os responsáveis sejam devidamente responsabilizados e punidos.

Em meio a sucessivas falta d’água, medidas urgentes terão que ser tomadas para tentar amenizar a grave crise que afeta o nosso país e posteriormente poderá nos afetar também.  Infelizmente não temos consciência do quanto estamos acabando com esse bem tão precioso e talvez quando acordarmos poderá ser tarde demais e ai não terá mais volta.

Essa situação vem se agravando em várias cidades e municípios mineiros e se não agirmos rapidamente, irá nos afetar também. Apesar de graves crises recorrentes em nosso país, esquecemos muito rápido do que aconteceu no passado.  Nada adianta encararmos este grave problema de frente só com medidas paliativas, decisões rápidas terão que ser tomadas para não piorar a crise mais ainda e depois a situação ficar irreversível.

Todos nós sabemos que um dos principais problemas não é somente a falta de chuva e sim a nossa ignorância em não proteger nossas nascentes e junto de tudo isso vem a nossa incompetência, ou ações propositais para ganhos além do que precisamos para sobreviver. Nascentes são caixas d’água naturais que estocam água das chuvas e vão liberando esta aos poucos.

A evaporação das águas dos lagos, rios, terra e mar alimentam a atmosfera com umidade formando as nuvens, que caem nos terrenos (ou no mar) alimentando novamente os rios e lagos. Porém nem toda a água que cai com a chuva vai para o mar ou vira um rio ou lago. Uma grande parte dela é absorvida pelo solo, como uma espécie de esponja, e fica ali retida. Essa água é uma das bases de formação dos aqüíferos e a principal das nascentes.

A floresta ou mata ajuda o solo a tornar-se ainda mais esponjoso, retendo maiores quantidades de água. Além disso, essa cobertura verde evita que grande parte da água acabe evaporando, o que pode deixar o solo seco e improdutivo. Outras funções da cobertura vegetal são: Impedir que a chuva leve o solo embora, evitando o empobrecimento da terra ou o assoreamento (acúmulo de areia e/ou terra) de rios e lagos os tornando menos profundos ou até os destruindo completamente.

Nossas nascentes estão perdendo qualidade aquática e de maneira em geral em volume também. Matas ciliares estão sendo completamente destruídas e uma experiência que poderia ser feita, seria o caminho inverso, ao invés de continuar desmatando porque não fazer o reflorestamento.

Segundo pesquisadores da NASA (Agência Espacial Americana), essa grave crise vem ocorrendo em vários países e é alarmante. Os aqüíferos estão sendo literalmente sugados em excesso e sem chance de recarga. A degradação da quantidade de água pode ser claramente vista pela cor avermelhada.

A água dos aqüíferos, diferente da água dos rios e lagos, pode levar séculos para ser recuperada. A água subterrânea dos aqüíferos, que deveria ser usada com parcimônia, pois é uma reserva, uma poupança, é usada como se fosse um recurso infinito, o que não é verdade.

O mito da água em abundância caiu por terra. Hoje estamos sentindo na pele e pagando um preço muito alto por nossa irresponsabilidade e a falta do não comprometimento com o nosso planeta. Fica ai um alerta a todos nós seres humanos, cuidar do planeta e um dever de todas as nações.

 

Jornalista: Agnaldo Moreira

 

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *